NOVEMBRO AZUL

O Novembro Azul é um lembrete para todos os homens a respeito do câncer de próstata.

O Novembro Azul é um lembrete para todos os homens a respeito do câncer de próstata.

por Colibrigov publicado 2021/11/01 11:49:00 GMT-3, Última modificação 2021-11-01T11:59:07-03:00
O câncer de próstata é assintomático no início, ou seja, não apresenta nenhum sintoma, o que torna a prevenção muito importante.

A Campanha #NovembroAzul, responsável pela conscientização do câncer de próstata, doença acometida aos homens, surgiu no ano de 1999 na Austrália, com um grupo de amigos que decidiram deixar o bigode crescer, a fim de chamar atenção para a saúde masculina. O grupo realizava ações e o que arrecadava, era doado às instituições de caridade.

Com o sucesso do movimento, em 2004 foi criada a Movember Foundation Charity, sendo Movember a junção de Moustache (bigode) com November (novembro). Na campanha é também pregado o No Shave November, que em tradução literal significa Novembro Sem Barbear. Por isso, o bigode, juntamente com a cor azul ficou conhecido como símbolo da campanha.

No Brasil, a Campanha Novembro Azul foi trazida pelo Instituto Lado a Lado Pela Vida em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia. A cada ano o movimento de conscientização ganha mais adeptos e o preconceito com o exame de toque, que sempre foi alvo de aversão pelo sexo masculino, diminui.

O câncer de próstata é assintomático no início, ou seja, não apresenta nenhum sintoma, o que torna a prevenção muito importante. Vale lembrar que o exame de sangue não substitui o de toque, que é simples e rápido. É indispensável que os dois sejam realizados, principalmente em homens que já passaram dos 45 (quarenta e cinco) anos de idade.

O dia 17 de novembro foi escolhido como dia mundial ao combate ao câncer de próstata.

Câncer de próstata

O que é?

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino que contribui para produção e armazenamento do sêmen. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma).

O câncer na próstata é o tipo de tumor mais comum em homens com mais de 50 anos. A taxa de incidência é maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento. A doença é o resultado de uma multiplicação desordenada das células da próstata.

Quando há presença de câncer, a glândula endurece. Na fase inicial, o câncer de próstata não tem sintomas. Em 95% dos casos, eles aparecem em estágio avançado.

Portanto, exames preventivos frequentes são fundamentais para que a doença não seja descoberta em estado avançado. Homens a partir dos 50 anos de idade (ou 45, se houver casos de câncer de próstata na família). Pessoas negras também têm maior predisposição para desenvolver este tipo de câncer devido ao fator genético. É importante destacar que todos homens dentro destas condições devem realizar os exames preventivos anualmente.

Um desses exames é o toque retal. O exame é rápido e indica se a próstata apresenta algum tipo de alteração. Caso a alteração seja detectada, o médico pode solicitar outros exames para confirmar o diagnóstico, como o PSA (Antígeno Prostático Específico), o ultrassom transretal e a biópsia da glândula, que consiste na retirada de fragmentos da próstata para análise. Só então é feito o diagnóstico.

No Brasil, em 2011, foi lançada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, a campanha Novembro Azul, o maior movimento em prol da saúde do homem, com o objetivo de alertar para a importância do diagnóstico precoce desse tipo de câncer que, em 2018, levou ao óbito 15.576 homens no país. Dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer) indicam que 68.840 novos casos de câncer de próstata foram diagnosticados em 2020.

Localização do órgão

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto (parte final do intestino grosso). A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A próstata produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual.

Característica do tumor

Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A maioria, porém, cresce de forma tão lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³) que não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.

Sintomas

Em sua fase inicial, o câncer da próstata tem uma evolução silenciosa. Por isso, muitos homens não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata, também chamado de HPB.

Quando alguns sinais começam a aparecer, 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura.

Confira os sintomas que são suspeitos e merecem uma consulta ao médico:

  • Sensação de que sua bexiga não se esvaziou completamente e ainda persiste a vontade de urinar.
  • Dificuldade de iniciar a passagem da urina.
  • Problemas para interromper o ato de urinar.
  • Urinar em gotas ou jatos sucessivos.
  • Necessidade de fazer força para manter o jato de urina.
  • Vontade incontrolável de urinar mesmo quando a bexiga não está cheia.
  • Sensação de dor na parte baixa das costas ou na pélvis (abaixo dos testículos).
  • Problemas em conseguir ou manter a ereção.
  • Sangue na urina ou no esperma (esses são casos muito raros).
  • Dor durante a passagem da urina ou nos testículos.
  • Ejaculação dolorida.
  • Dor lombar, na bacia ou nos joelhos
  • Sangramento pela uretra.

Câncer de próstata avançado

Na fase muito avançada, o câncer de próstata pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Por isso, é importantíssimo que os homens desenvolvam o hábito de prestar atenção ao seu organismo para observar sintomas repentinos e alterações. Assim, podem procurar um médico para tirar dúvidas, ser orientados e tratados.

A ausência dos sintomas não garante que não há problemas com a saúde do homem. Portanto, realize os exames preventivos anualmente e fique atento para mudar os fatores de risco que independem da genética.

Fatores de risco

Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores serão as chances de cura, além de permitir um tratamento menos agressivo. Conheça alguns fatores de risco comumente atribuídos ao câncer de próstata:

Hereditariedade

A doença é definida como hereditária, quando:

  • Três ou mais parentes de primeiro grau são afetados.
  • Dois parentes de primeiro grau forem diagnosticados antes dos 55 anos de idade.
  • Quando acontecer em três gerações consecutivas (avô, pai e filho).

Na presença de alguns desses critérios, o risco de desenvolver a doença é de 50%.

Idade

Assim como em outros tipos de câncer, a idade é um marcador de risco importante, ganhando um significado especial no câncer da próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam exponencialmente após os 50 anos.

Alimentação

A influência da alimentação sobre a formação do câncer ainda é incerta, não sendo conhecidos os exatos componentes ou mecanismos pelos quais ela pode influenciar o desenvolvimento da doença.

As evidências apontam que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e pobres em gordura, principalmente as de origem animal, não só ajuda a diminuir o risco de câncer, como também o risco de outras doenças crônicas não transmissíveis.

O consumo de frutas, vegetais ricos em carotenoides (como o tomate e a cenoura) e leguminosas (como feijões, ervilhas e soja) tem sido associado a um efeito protetor.

Além desses, alguns componentes naturais dos alimentos, como as vitaminas (A, D e E) e minerais (selênio), também parecem desempenhar um papel benéfico na prevenção da doença.

Já outras substâncias geradas durante o preparo de alguns alimentos, podem aumentar o risco de câncer da próstata:

  • Aminas heterocíclicas: se formam com a utilização de temperaturas muito elevadas no modo de preparar carnes brancas e vermelhas, sejam de forma frita ou grelhada. Essas substâncias que se formam e aderem à superfície das carnes, quando consumidas com frequência, podem favorecer o surgimento deste tipo de câncer.
  • Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos: são compostos produzidos pela queima incompleta de substâncias orgânicas como o carvão, a lenha e a gasolina. A absorção destas substâncias por meio da pele, da respiração e da ingestão está associada não só ao câncer de próstata, mas também aos de pele, mama, bexiga e fígado.

Obesidade, tabagismo e consumo de álcool

Outros fatores cujas associações com câncer da próstata foram detectados em estudos que incluem consumo excessivo de álcool e tabagismo. Homens com sobrepeso e obesos também possuem maior risco de desenvolver câncer de próstata.

Raça

Homens negros, pelo fator genético, têm mais casos deste tipo de câncer.

Prevenção

Fazer exames periodicamente é a melhor maneira de identificar o câncer de próstata em estágio inicial, uma vez que não há prevenção contra a doença. A detecção precoce do câncer de próstata tem 90% de chances de cura. Sociedades médicas recomendam que homens a partir dos 50 anos de idade façam o exame de próstata anualmente e, acima dos 45, caso esteja inserido nos fatores de risco.

O ritual compreende o toque retal e o exame de sangue, para checar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Havendo alguma suspeita, o paciente deve se submeter à biópsia da próstata.

O toque retal é considerado indispensável e não pode ser substituído pelo exame de sangue ou por qualquer outro exame, como o ultrassom. Somente com o resultado dessa análise do tecido é que poderá ser fornecido o diagnóstico. Para prevenir o câncer de próstata, a consulta médica e exames periódicos são essenciais.

Preparamos a seguir, algumas dicas de como se preparar para conversar com o seu médico:

  • Escreva todos os sintomas que está sentindo, mesmo que não pareça estar associado à razão principal da consulta médica.
  • Caso não sinta absolutamente nada, mas esteja na faixa etária dos 50 anos, não deixe de fazer a consulta. Ela é importante para que você faça os exames preventivos.
  • Faça uma lista das medicações que você usa, incluindo vitaminas ou suplementos alimentares.
  • Convide um amigo ou parente próximo para ir com você ao médico. Isso será importante para ajudá-lo a lembrar de tudo o que for discutido.
  • Se tiver resultados de exames feitos recentemente, leve-os. Podem ser uma referência importante na hora de o médico levantar o seu histórico.
  • Avise o médico se houver pessoas na sua família que tiveram câncer de próstata. Menos de 10% dos cânceres de próstata têm algum componente hereditário.

Quando você for ao médico, não se esqueça de esclarecer as dúvidas com relação ao câncer de próstata. Veja as principais perguntas:

  • Os sintomas que eu sinto podem significar câncer de próstata?
  • Só com o exame de toque retal é possível saber se tenho algum tumor?
  • O PSA é um complemento ao exame de toque retal?
  • De quanto em quanto tempo preciso repetir os exames?

Diagnóstico

Tendo desconfiança em relação à presença do câncer de próstata, o paciente deve procurar o serviço médico para o devido encaminhamento que inclui os exames básicos para detectar a doença.

De acordo com os especialistas, o câncer da próstata pode ser identificado com a combinação de dois exames:

  • Dosagem de PSA: exame de sangue que avalia a quantidade do antígeno prostático específico. Na maioria dos homens, o nível de PSA costuma permanecer abaixo de 4 ng/ml. Alguns pacientes com nível normal de PSA podem ter um tumor maligno, que pode até ser mais agressivo, por isso esse exame, feito de forma isolada, não pode ser a única forma de diagnóstico.
  • Toque retal: é rápido e indolor. O toque é feito pelo médico com o dedo protegido por luva lubrificada. o exame permite ao médico palpar a próstata e perceber se há nódulos (caroços) ou tecidos endurecidos (possível estágio inicial da doença).

Atenção: nenhum dos dois exames têm 100% de precisão. Por isso, podem ser necessários exames complementares.

A biópsia é o único procedimento capaz de confirmar o câncer. A retirada de amostras de tecido da glândula para análise é feita com auxílio da ultrassonografia. Pode haver desconforto e presença de sangue na urina ou no sêmen nos dias seguintes ao procedimento, e há risco de infecção, o que é resolvido com o uso de antibióticos.

Outros exames, como o ultrassom transretal, cintilografia óssea (para verificar se os ossos foram atingidos), tomografia computadorizada e ressonância magnética também são importantes exames para identificar o estágio do câncer. Sem tratamento adequado, o câncer de próstata pode se espalhar para outros órgãos do corpo (metástase).

De modo geral, não existe um caso igual a outro: a idade do paciente, o estado geral em que se encontra, a extensão da positividade na biópsia, o tipo de diferenciação das células (se elas se parecem com a glândula original ou não), são algumas das variáveis para análise da gravidade de caso.

Tratamento

As recomendações mais comuns para o tratamento do câncer de próstata são:

  • Para doença localizada (que só atingiu a próstata e não se espalhou para outros órgãos): cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em algumas situações especiais) podem ser oferecidos.
  • Para doença localmente avançada: radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados.
  • Para doença metastática (quando o tumor já se espalhou para outras partes do corpo): o tratamento mais indicado é a terapia hormonal.

A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após médico e paciente discutirem os riscos e benefícios de cada um.

Perguntas frequentes

  1. Qual é a função da próstata?
    A próstata é a glândula responsável pela produção de cerca de 70% do líquido seminal e está ligada à fertilidade masculina.
  2. Qual a relação entre a próstata e a ereção?
    Diretamente, nenhuma. A ereção do homem depende de fatores como secreção da testosterona, aporte sanguíneo satisfatório e condução adequada dos impulsos nervosos.
  3. Qual é a chance de um homem ter câncer de próstata?
    Cerca de 10% dos homens após os 50 anos de idade desenvolvem a doença. Conforme o envelhecimento, as chances crescem, podendo afetar 50% dos homens aos 75 anos.
  4. Existe algum exame que substitua o toque retal?
    Não. Nenhum outro exame consegue o diagnóstico com a mesma eficácia, que a palpação digital, pois o câncer de próstata pode ficar em área endurecida, região facilmente acessível ao toque retal.
  5. Qual a diferença entre tumor benigno e câncer?
    Tumor significa o crescimento exagerado e desordenado das células, que pode ser benigno ou maligno. Quando benigno, ele pode causar a compressão de órgãos vizinhos de onde foi detectado, mas raramente acomete o estado geral do paciente. Quando o tumor é maligno significa que é um câncer e tem capacidade para se espalhar para outros órgãos (metástase).
  6. É possível que meu câncer nunca cresça?
    Sim. Isso acontece quando o tumor é chamado de “câncer indolente”. Nessa situação, o médico pede repetição de biópsias com intervalos determinados, para ter certeza que o câncer não evolui.
  7. Existem vacinas contra o câncer de próstata?
    Não há na medicina ainda uma vacina contra esse tipo de doença. Alguns pesquisadores tentam desenvolver esse procedimento usando as próprias células tumorais, mas ainda sem sucesso.

Fontes de consulta

INCA

https://www.inca.gov.br


 

Voltar ao topo